Bahia somou 269 mil pessoas desocupadas no mês de julho

 Bahia somou 269 mil pessoas desocupadas no mês de julho
Compartilhar

A Bahia foi o segundo estado no país que mais sofreu com demissões na pandemia entre os meses de junho e julho de 2020. Foram mais de 269 mil baianos que deixaram de trabalhar, segundo a última PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua) covid-19, publicada nesta quinta-feira, 20, pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), com apoio do Ministério da Saúde.

O resultado baiano só não foi pior que o de São Paulo, onde 321 mil pessoas ficaram desempregadas. A PNAD covid-19 tem o objetivo de identificar os impactos da crise provocada pelo novo coronavírus no mercado de trabalho. 

Com a redução dos empregos, a Bahia teve, no último mês, a menor taxa de população ocupada desde 2012, ano em que a pesquisa começou a ser feita. São agora 40,7% das pessoas com idade para trabalhar (a partir de 14 anos) sem ocupação no estado. A proporção caiu em relação a junho, quando o índice foi de 42,9%.

Contudo, o IBGE pontua que essa taxa de 2012, que foi de 54,9% no segundo trimestre e de 55,1% no terceiro trimestre, é da PNAD Contínua, pesquisa realizada a cada três meses, e não da PNAD covi-19, que passou a ser realizada mensalmente desde maio.

Fonte: Correio da Bahia

*Todos os comentários são de responsabilidade dos seus autores